Magistrados discutem com Bolsonaro preocupações da categoria

“Não tratamos de nenhuma pauta específica porque não é o momento adequado. O que viemos fazer foi mostrar as preocupações e os projetos que existem no Congresso, que são muitos, mas nada em especial”, afirmou o magistrado.

A visita ocorreu no dia seguinte à decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, que determinou a soltura dos condenados em segunda instância. Horas depois, o presidente da Corte, Dias Toffoli, revogou a medida.

Na conversa com Bolsonaro, Jayme de Oliveira disse que há vários projetos em discussão e citou a proposta de fixar um tempo de mandato para ministros do Supremo. Segundo ele, AMB não apresentou um pedido específico. “O presidente assume em janeiro e, aí sim, vamos procurá-lo e levar algumas pautas a ele.”

Jayme de Oliveira acrescentou ainda que o presidente eleito demonstrou disposição em conhecer e ouvir propostas. Além dos juízes, Bolsonaro recebeu hoje evangélicos norte-americanos e o ativista dissidente do governo cubano Orlando Gutierrez-Boronat, com quem, segundo assessoria do presidente, “foi discutida a libertação de Cuba”.

O presidente eleito recebeu ainda a visita do alfaiate Santino Gonçalves Filho e do cabeleireiro Maxwell Gerbatim. Eles entregaram a Bolsonaro o terno que usará na cerimônia de posse, em 1º de janeiro. O traje foi confeccionado como um presente para Bolsonaro.

Fonte: Agência Brasil