Adailton Fúria cobra ações na área de saúde e negociação com agentes penitenciários

Parlamentar afirma que o governo deve negociar logo com a categoria, para que a
greve chegue ao fim

O deputado Adailton Fúria (PSD) disse na sessão desta terça-feira (12), que o
valor dos agentes penitenciários será reconhecido somente quando presos
começarem a fugir. A categoria entrou em greve. Ele disse que diversos
parlamentares já foram ouvidos, e também os representantes da categoria,
faltando ouvir somente o governador.

Para Adailton Fúria, o governador precisa sentar com os deputados e com os
agentes para que possa haver um acordo. Segundo ele, é preciso chamar o
Governo para uma conversa, para que a paralisação possa chegar ao fim.

“O Governo diz que não tem dinheiro para reajuste salarial, mas o governador
pode se preparar para arrancar dinheiro de pedra”, acrescentou.

Em relação ao Hospital João Paulo II, o parlamentar disse que, aos 14 anos de
idade, vendia cupuaçu e passava todos os dias em frente à unidade de saúde.

“Isso tem mais de 15 anos, e continua tudo do mesmo jeito. A diferença é que
agora está sendo usada a garagem. Tem leitos lá. O João Paulo II continua no
mesmo lugar, com os mesmos servidores e com as mesmas deficiências. Se
fosse um hospital particular, já tinha sido fechado há muito tempo”, afirmou.
Adailton Fúria afirmou que o Estado foi dividido ao meio, e “pacientes da região
sul estão sendo jogados em Cacoal”. Ele citou que nos hospitais particulares
tudo é muito diferente, desde a recepção.

“Deita na garagem de um hospital privado e diz que está sendo atendido no
chão. Veja se o Tribunal de Contas, o Exército, a Marinha e a Aeronáutica não
vão lá fechar o hospital. Vai ficar ruim para nós, deputados, se no final de
quatro anos ainda existir o João Paulo II”, finalizou Adailton Fúria.

Fonte: ALE