Biólogo quer percorrer 700 km de bicicleta entre cidade do AC e Peru

valdenO biólogo Valden Rocha, de 48 anos, se prepara para uma verdadeira aventura. Ele pretende, a partir do dia 5 de novembro, percorrer o trajeto de aproximadamente 700 km, entre Assis Brasil, no interior do Acre, até Cusco, no Peru, usando uma bicicleta. Não existe uma previsão de chegada, mas todo o projeto deve ser finalizado ao longo de um mês.

A ideia surgiu em 2010, quando Rocha decidiu que queria acampar na Cordilheira dos Andes. Ele conta que o desejo nunca saiu da cabeça e, se colocado em prática, iria unir três paixões: viagem, bicicleta e poder observar a natureza. Segundo ele, a preparação física começou há dois anos. A viagem deve ser feita com mais dois companheiros.

Defensor do uso da bicicleta, o biólogo tem uma relação com o transporte há mais de duas décadas e, há três anos, o utiliza como único meio de locomoção em Rio Branco, cidade onde mora.

“É o transporte do futuro, não poluente, humaniza, deixa a cidade mais bonita e evita o trânsito caótico. É a solução para a urbanidade no mundo inteiro”, fala.

Além do desafio pessoal, o objetivo da viagem é mostrar que é possível fazer do percurso – entre Acre e Peru – um roteiro de cicloturismo mundial por meio da Transoceânica. Para isso, Rocha ressalta que a experiência deve provar que é possível ter experiências marcantes, de férias, gastando pouco dinheiro.

“Acho que o ser humano pode viver um pouco mais minimalistamente, podendo chegar ao ponto de viver com um pouco menos, excluindo o desnecessário. Quero mostrar para todos que é possível fazer um turismo sem degradar o meio ambiente e curtir com a utilização da bicicleta”, ressalta.

Rocha diz ainda que, depois que divulgou a ideia, os amigos fizeram questão de participar e, de alguma forma, viajar na “garupa” da bike. Então, para os gastos da viagem, o biólogo confeccionou 50 selos que podem ser “comprados” por no mínimo R$ 20. Eles vão colados na bike com o nome de quem adquiriu.

“A campanha apareceu com uma brincadeira. Surgiu a ideia do “garupa” e fizemos um selo que vai grudado na bicicleta. A ideia não é fazer dinheiro, mas viver com o mínimo. Os 50 selos a R$ 20, dariam um valor de R$ 1 mil para os 30 dias de viagem, com alimentação, manutenção da bicicleta, tudo. As pessoas estão querendo participar”, ressalta.

Fonte: G1