Levantamento aponta médio risco para infestação do Aedes aegypti em Cacoal, RO

Após visitar cerca de 1,8 mil imóveis em 51 bairros de Cacoal (RO), município a 480 quilômetros de Porto Velho, agentes de endemias constataram que os moradores precisam redobrar os cuidados com os quintais. Isso porque a cidade está com médio risco para a infestação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da Zica, Dengue e Chikungunya. O resultado saiu por meio do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (Lira).

De acordo com o coordenador da vigilância ambiental, Flaviano Melo, o lixo doméstico continua sendo o principal criadouro do mosquito.

“Eu vou ressaltar que quando se fala em lixo doméstico, não estou falando dos quintais com mato, mas sim dos detalhes que a pessoa esquece, como uma vasilha, por exemplo, choveu, está com água e o mosquito vai usar para desovar lá dentro. Armazenar água no chão também pode se transformar em um criadouro do mosquito”, destacou Flaviano.

Agora o setor de endemias deve reforçar o trabalho de orientação sobre os cuidados com os quintais, indo de casa em casa.

Até o momento, Cacoal já registrou pelo menos dois casos confirmados de Dengue e seis de Chikungunya. Para o setor de saúde, é necessário que toda a comunidade colabore, eliminando possíveis criadouros.

“É muito importante que a comunidade faça o seu papel, inserindo no calendário semanal, um dia para fazer uma faxina no quintal, eliminando qualquer objeto que possa acumular água”, alertou a coordenadora de vigilância em saúde Ivani Gromann.

As pessoas que tiverem algum sintoma das doenças transmitidas pelo Aedes, precisam procurar uma Unidade Básica de Saúde para que seja feita uma notificação.

“Apresentou os sintomas da Zica, Dengue e Chikungunya, que são bem parecidos, procure uma unidade básica mais próxima, para que seja feita a notificação. Tendo a notificação, nós faremos um bloqueio parcial, para tentarmos matar o mosquito que está infectado e com isso cortaremos o ciclo de transmissão da doença”, explicou Flaviano.

Fonte: G1