Clínica congelava animais mortos para continuar cobrando por internação, diz Polícia Civil

Por Fernando Zuba, TV Globo — Belo Horizonte

Clínica congelava animais mortos para continuar cobrando por internação

Clínica congelava animais mortos para continuar cobrando por internação

A Polícia Civil faz, na manhã desta sexta-feira (22), uma operação contra maus-tratos de animais na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O alvo é uma clínica veterinária em Nova Lima. O dono foi preso.

Segundo o delegado Bruno Tasca Cabral, no local, eram cometidos diversos crimes, como estelionato, associação criminosa e maus-tratos. As apurações apontam que houve casos em que, quando o animal morria, o veterinário o congelava e não avisava ao dono sobre a morte para continuar cobrando pela internação.

Animais chegavam a ficar congelados por mais de uma semana. Quando o dono era avisado, o animal era descongelado e era aplicada uma injeção para retomar a condição do corpo simulando que a morte era recente.

“Nós temos testemunhas fundamentais que informam para gente que era um procedimento comum a reutilização de próteses e parafusos que poderiam causar uma contaminação nos amimais muito fácil. E a questão do congelamento, nós tivemos notícia que ele praticava esse tipo de ação, ele congelava o animal já morto para postegar a devolução do corpo para receber um maior volume de dinheiro”, disse a delegada Carolina Bechelany.

Por volta das 10h30, a assessoria de imprensa da clínica disse que a empresa está surpresa com a operação e que se pronunciará após análise de todas às denúncias sofridas.

“Além disso, se coloca à disposição da Justiça para esclarecimento dos fatos e afirma que irá cooperar no que for preciso com a investigação para que todos os fatos sejam esclarecidos o mais breve possível”, afirma a nota.